No Inverno a atenção com as crianças deve ser redobrada. Confira 8 dicas para aquecer seu filho nas temperaturas  mais baixas.

Na estação mais fria do ano o clima fica seco e as doenças respiratórias são mais comuns, afetando principalmente os recém-nascidos. O bebê, em especial nos seis primeiros meses de vida, sofre com as alterações de temperatura e com o nariz constantemente entupido.  É importante ficar atento a todos os detalhes como roupas, banho e saídas nesse período para garantir que seu filho fique bem quentinho nos dias frios.

1 – Roupas

A melhor opção é vestir o bebê em camadas. Você pode colocar um body por baixo, uma calça e um macacão por cima. Opte por aquelas de algodão, pois a lã pode dar alergia e ressecar a pele, e o náilon não é adequado para baixas temperaturas. Como os bebês perdem muito calor nas extremidades, mãos, pés e couro cabelo ficam mais gelados. Portanto, ao sair, coloque na criança luvas, meias e gorros. Existem também alguns modelos de macacões que vêm com um acabamento no punho que permite dobrá-lo por cima da mãozinha, funcionando como uma espécie de luva. Pode ser mais prático!

2 – Cuidado com os exageros

É importante sempre ficar de olho na temperatura da criança, que deve estar entre 36,5 e 37,2 graus. Se o bebê começar a transpirar ou se mostrar irritado sem motivo, por exemplo, pode ser que esteja com calor. Nesses casos, retire uma camada das roupas.

3 – Banho

Antes de começar o banho, deixe o chuveiro ligado para vaporizar o ambiente e evitar o choque térmico entre a água e a pele do bebê. Isto traz uma sensação mais agradável para a criança. O melhor horário é entre às 15h e 16h, com a água em torno de 37ºC. Não leve brinquedos para o banheiro, isso distrai a criança e deixa o banho mais demorado. Nessa época do ano os banhos têm de ser rápidos.

4 – Saídas

O ideal é evitar lugares aglomerados pelo menos até os dois primeiros meses, quando o recém-nascido toma a vacina Pentavalente (contra difteria, tétano, coqueluche, infecções causadas por Haemophilus influenzae tipo b e hepatite B). Passeios antes das 10h e depois das 17h não são bons, pois nesses períodos do dia as temperaturas estão mais baixas, com mais vento. Evite, também, sair com a criança após dar banho nela.

5 – Aquecedor

Esses aparelhos diminuem a qualidade do ar, deixando-o seco. Uma das saídas é umedecer o ambiente com uma toalha molhada ou uma bacia com água (longe do alcance do seu filho) enquanto o aquecedor estiver ligado. Também é preciso trocar e limpar o filtro do aparelho nos períodos recomendados pelo fabricante. Outra dica para amenizar o ressecamento do ar é escolher um aquecedor com umidificador, que, como o próprio nome sugere, mantém a umidade do ar. Se você optar por ter dois aparelhos separados, o tempo de uso do aquecedor deve ser maior que o do umidificador. O ar úmido demais também pode trazer problemas, como o aparecimento de fungos. O importante é saber que aquecedores são, sim, ótimos aliados em dias frios, mas não devem ficar ligados durante muitas horas. E não se esqueça de que, mesmo com baixas temperaturas, você deve abrir a casa todos os dias, ventilar os ambientes e manter os cômodos sempre limpos.

6 – Carrinho de bebê

Os carrinhos disponíveis no mercado são, em geral, bem adaptáveis às baixas temperaturas. Escolha um que tenha protetor para chuva e frio ou compre um protetor individual que se adapte ao modelo que você já tem. Só cuidado para não sufocar a criança! Os protetores devem sempre ter aberturas nas laterais para a circulação do ar.

7 – Berço

Na hora de dormir, vista seu filho em camadas. Coloque primeiro o body, depois o pagão e por cima um pijama bem quentinho no bebê. Os macacões de flanela são ótimas opções. Nada de cobrir seu filho com cobertor, manta ou edredom para evitar sufocação. Se estiver muito frio, você pode recorrer aos sacos de dormir. Eles são uma espécie de saco mesmo com a parte de cima parecendo uma regata e têm um zíper na frente para fechar, o que facilita a troca da fralda durante a noite.

8 – Visitas

É comum os parentes e amigos irem visitar o recém-nascido, mas alguns cuidados são necessários. É bom evitar o contato com pessoas gripadas, com tosse e coriza, que deixam o vírus no ar e podem contaminar o bebê e, claro, peça que todos lavem as mãos. Parece óbvio, mas não custa reforçar.

Com informações de Revista Crescer.